• Arautos d'el Rei
  • Arautos d'el Rei
  • Arautos d'el Rei
  • Arautos d'el Rei
  • Arautos d'el Rei
O Livro Negro da Revolução Francesa PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Livro Negro da RFDa perseguição religiosa aos tribunais do Terror, da guerra civil à destruição das obras de arte, "O Livro Negro da Revolução Francesa" revela o que os manuais escolares nos ocultam...

A Revolução Francesa de 1789 é normalmente descrita como um acontecimento glorioso, libertador e fraternal, que significou o triunfo de uma Razão há longo tempo amadurecida e desejada na Europa e que destruiu o mundo do Ancien Régime. Mas o acontecimento que é apontado como fundador de valores como a Liberdade, Igualdade e Fraternidade representou, simultaneamente, um dos mais sangrentos períodos da história contemporânea, com marcas que perduram até aos dias de hoje.
"O Livro Negro da Revolução Francesa" não pretende "branquear" factos. É inegável que a extrema violência que este acontecimento gerou -- e que no entanto se reclama como sendo um produto das "Luzes" -- deixou marcas indeléveis em sucessivas gerações no mundo ocidental.

Este livro pretende apresentar uma visão alternativa, não só da Revolução Francesa, mas também dos processos revolucionários globalmente considerados, oferecida por trabalhos e reflexões críticas com um valor e autoridade que são, frequente e precipitadamente, recusados, mas que têm sido fundamentais para a desconstrução da "mitologia" revolucionária. Das perseguições religiosas aos tribunais do Terror, da guerra civil à destruição de obras de arte, o leitor poderá com o presente livro ganhar uma nova perspectiva sobre um dos acontecimentos mais marcantes da História.
Esta obra colectiva conta com a participação de mais de quatro dezenas de especialistas oriundos de várias áreas do conhecimento (como Pierre Chaunu, Jean Tulard, Emmanuel Le Roy Ladurie, Stéphane Courtois, este último autor/coordenador de "O Livro Negro do Comunismo"), que procuram abordar vários aspectos e dimensões da Revolução Francesa de uma forma inovadora e rigorosa.

Autor: Vários, sob a direcção de Reanaud Escande
Título: O Livro Negro da Revolução Francesa
Editora: Aletheia Editores, Lisboa, Agosto de 2010, 794 págs.
ISBN: 978-989-622-238-3
Formato: 14 x 22

 

Actualidades

Ao celebrar os seus 40 anos, a Revolução do 25 de Abril de 1974 em quase nada alterou as metas que dizia ter para a sociedade portuguesa e entre as quais estava a construção de uma "democracia pluralista".

Pelo contrário, o Socialismo tem prevalecido como marca ideológica imposta pela Esquerda, empurrando Portugal para as vias do autoritarismo, desacreditanto seriamente o regime e inviabilizando uma alternativa de governo pela sistemática diabolização da Direita.
Leia mais aqui para ver como o 25 de Abril lançou Portugal nas vias do autoritarismo de uma “democracia popular” alinhada com os desígnios do comunismo internacional.

 

A Rádio Vaticano juntou-se às comemorações dos 30 anos do movimento comunista MST

No Brasil, movimentos comunistas como os "Sem-Terra" (MST) e "Via Campesina" têm um ódio especial às fazendas e às empresas que mais se destacam pelo seu progresso e pela contribuição que dão ao desenvolvimento económico do país.
"É necessário criar dificuldades às classes trabalhadoras para que elas se revoltem", dizia Lenin.

Continuar...
 

Lobby gay: Um grupo ultraminoritário de fanáticos que impõe arrogantemente a sua perversão

O que se está a passar em Portugal com o debate sobre a coadopção revela a anomalia cívica da nossa sociedade e, sobretudo, a degradação a que chegou o nosso regime democrático", comentou o Dr. Marinho Pinto.
"Um sector ultraminoritário da sociedade, que age como uma seita, impõe arrogantemente as suas certezas e insulta e escarnece dos que exprimem opiniões diferentes.

Continuar...
 

Sugestões de Leitura

porno izle porno izle dizi izle video izle video izle saglikli yasam holiday resort porno izle porno izle porno izle porno izle webmaster forumu ara beni